A 10ª edição da Mostra Novos Repertórios vai movimentar Curitiba com programação intensa, de alta qualidade e gratuita, reunindo as mais importantes companhias de teatro da cidade

Durante dez dias, de 24 de julho a 02 de agosto, serão apresentados os mais recentes trabalhos das principais companhias de teatro da cidade.  A 10ª edição da Mostra Novos Repertórios irá trazer 12 espetáculos teatrais e de dança para os palcos do Centro Cultural Teatro Guaíra. Além dos teatros Guairinha e Miniauditório, haverá apresentações também ao ar livre, na Praça Santos Andrade.

Confira a programação completa:

Dia 23/07 (domingo)

Das 16h as 20h Companhia Brasileira de Teatro – festa na brasileira

Companhia Brasileira inicia o Mi Casa Su Casa e a Mostra Novos Repertórios com a terceira edição da festa “Friendly”. Com DJ Slash e DJ…
Vamos nos encontrar, nos divertir, rir, projetar e dançar. A Mostra está só começando, e os encontros também.

Dia 24/07 (segunda-feira)

17h – Praça Santos Andrade

COREOGRAFIA ESTUDO #1 – Michelle Moura (Dança).

Sinopse
Quatro bailarinos. O caminhar é o movimento chave e o compasso é metronômico. Um exercício militar? Um coro. Coreografias. A etimologia da palavra coreografia é “escrita para um coro”, ou, escritas para mover-se em conjunto. Somos coreografados pelo nosso gênero, pela nossa cultura, política e geografia. A escrita (grafia) tem o poder de gravar sobre os corpos, inscrever através dos tempos, definir jeitos específicos de entender a incorporação do movimento. Podemos resistir às coreografias?

Em Coreografia Estudo#1, padrões numéricos e desenhos geométricos definem trajetórias e movimento de quatro bailarinos. Quadrados. O compasso é metronômico. E o ritmo é mantrico devido a quantia mínima de elementos presentes nas partituras, que se repetem ou recombinam-se sempre de forma diferente. É através de interrupções do uníssono e da dessincronização que diferentes caminhos e novas relações surgem entre os bailarinos.

Tempo: 50 minutos
Gênero: Dança
Classificação: Livre

 

21h – Teatro Guairinha

NO DIA SEGUINTE – A QUASE HISTÓRIA DA TELEVISÃO BRASILEIRA –   Antropofocus.

Sinopse
Em poucos instantes vai começar a programação da TV Anhanguá, o primeiro canal de televisão do Brasil. Depois de meses de ensaio os atores, músicos e técnicos estão preparados para tudo…. Ou quase tudo. O espetáculo é uma brincadeira que mistura informações e lendas do dia da estreia da televisão brasileira com referências a programas e personalidades da tevê do Brasil.

Tempo: 90 minutos
Gênero: Comédia
Classificação: 10 anos

Dia 25/07 (terça-feira)

19h – Miniauditório

NÃO CONTÉM GLÚTEN – Teatro de Breque

Sinopse
Sábado à noite. O casal Sue e Michael está em seu apartamento à espera de Dorothy e Henry, amigos de longa data. Na chegada dos convidados, percebe-se algo perturbador e inesperado.  ‘Não Contém Glúten’, flerta com o teatro do absurdo. Os diálogos do texto abordam temas como o sucesso e o fracasso de cada um dos casais, passando por temas como ciúmes, gravidez, educação dos filhos e, claro, alergia a glúten. O que o espetáculo revela, acima de tudo, são as evidências de um casamento desgastado – duas pessoas sem êxito nos negócios e na vida doméstica. Diante dos visitantes que parecem desfrutar de uma realidade idílica, os donos da casa são obrigados a encarar a insignificância do seu dia a dia, embora seja evidente a existência de um fiapo de amor que mantém a relação dos dois em pé.

Tempo: 35 minutos
Gênero: Comédia Dramática
Classificação: Livre

21h – Teatro Guairinha

NO DIA SEGUINTE – A QUASE HISTÓRIA DA TELEVISÃO BRASILEIRA –  Antropofocus.

Dia 26/07 (quarta-feira)

18h – Obragem – conversa curadoria

Os Curadores de três Festivais relevantes do país se encontrarão com os artistas de Curitiba para falar um pouco mais dos seus percursos, interesses, objetivos curatoriais e artísticos. Neste encontro poderemos compreender um pouco mais por onde passam as escolhas dos curadores e para onde seus olhares apontam.
Com Felipe Assis – FIAC Salvador, Bia Junqueira – Tempo Festival e Francis Wilker – Festival de Graramiranga.


21h – Teatro Guairinha

O LEÃO NO AQUÁRIO – Minha Nossa Companhia de Teatro.

Sinopse
Escrita em 2013 por Vinícius Souza, O Leão no Aquário apresenta uma situação inusitada para os tempos atuais: um homem, parado frente a uma parede branca, se pergunta repetidas vezes: o que está acontecendo? A partir deste instante de perplexidade, a dramaturgia apresenta importantes figuras na vida deste homem: mãe, amigo, ex-mulher e filho. Neste encontro, descobrimos que algo aconteceu e que o fez estar ali onde ele está agora: parado frente a uma parede, ouvindo o mundo gritando lá fora e sem força ou vontade para abrir a porta.
Mais do que simplesmente apresentar a história deste homem que parte de sua casa natal, interessou à MINHA NOSSA encontrar e reforçar a força dos elos afetivos, sejam familiares ou entre amigos. A encenação dirigida pelo carioca Diogo Liberano apresenta um jogo em que os cinco atores se alternam no papel dos cinco personagens. Neste jogo o espetáculo convida o espectador a também experimentar a possibilidade de se colocar em outra posição.

Tempo: 70 minutos
Gênero: Drama
Classificação: 14 anos

Dia 27/07 (quinta-feira)

17h – CiaSenhas – roda de negócios

A vinda dos Curadores é importante para trazer oportunidades de articulação e desbravar novos espaços de trocas artísticas para os artistas da cidade. Este encontro será aberto para artistas e companhias que desejam levar seus materiais para os Curadores e Críticos e poder estabelecer uma relação mais direta, pessoal com cada um eles. Um momento para criar negócios e aprofundar relações.

19h – Miniauditório

TODAS – Espaço Cênico.

Sinopse
Quatro mulheres se encontram no plano da ficção: duas atrizes, uma diretora e uma autora. No palco, elas ensaiam a criação de suas vidas. A ancestralidade e o futurismo de uma história de mulheres. Quatro personagens que ora se mesclam, concordam; ora dissonam, transbordam. Idiomas indizíveis. Quatro momentos de vida, um encontro. \todas/ é um espetáculo que tem como estopim a obra da autora curitibana Luci Collin. As presenças das atrizes, bem como da autora e da diretora celebram àquelas \todas/ que por esses palcos da vida já passaram. Espetáculo sinalizado em libras e falado em português.

Tempo: 50 minutos
Gênero: Drama
Classificação: 12 anos

21h – Teatro Guairinha

O LEÃO NO AQUÁRIO – Minha Nossa Companhia de Teatro.

Sinopse
Escrita em 2013 por Vinícius Souza, O Leão no Aquário apresenta uma situação inusitada para os tempos atuais: um homem, parado frente a uma parede branca, se pergunta repetidas vezes: o que está acontecendo? A partir deste instante de perplexidade, a dramaturgia apresenta importantes figuras na vida deste homem: mãe, amigo, ex-mulher e filho. Neste encontro, descobrimos que algo aconteceu e que o fez estar ali onde ele está agora: parado frente a uma parede, ouvindo o mundo gritando lá fora e sem força ou vontade para abrir a porta.
Mais do que simplesmente apresentar a história deste homem que parte de sua casa natal, interessou à MINHA NOSSA encontrar e reforçar a força dos elos afetivos, sejam familiares ou entre amigos. A encenação dirigida pelo carioca Diogo Liberano apresenta um jogo em que os cinco atores se alternam no papel dos cinco personagens. Neste jogo o espetáculo convida o espectador a também experimentar a possibilidade de se colocar em outra posição.

Tempo: 70 minutos
Gênero: Drama
Classificação: 14 anos

Dia 28/07 (sexta-feira)

17h – Praça Santos Andrade

COREOGRAFIA ESTUDO #1 – Michelle Moura (Dança).

Sinopse
Quatro bailarinos. O caminhar é o movimento chave e o compasso é metronômico. Um exercício militar? Um coro. Coreografias. A etimologia da palavra coreografia é “escrita para um coro”, ou, escritas para mover-se em conjunto. Somos coreografados pelo nosso gênero, pela nossa cultura, política e geografia. A escrita (grafia) tem o poder de gravar sobre os corpos, inscrever através dos tempos, definir jeitos específicos de entender a incorporação do movimento. Podemos resistir às coreografias?

Em Coreografia Estudo#1, padrões numéricos e desenhos geométricos definem trajetórias e movimento de quatro bailarinos. Quadrados. O compasso é metronômico. E o ritmo é mantrico devido a quantia mínima de elementos presentes nas partituras, que se repetem ou recombinam-se sempre de forma diferente. É através de interrupções do uníssono e da dessincronização que diferentes caminhos e novas relações surgem entre os bailarinos.

Tempo: 50 minutos
Gênero: Dança
Classificação: Livre

19h – Miniauditório

TODAS – Espaço Cênico.

Sinopse
Quatro mulheres se encontram no plano da ficção: duas atrizes, uma diretora e uma autora. No palco, elas ensaiam a criação de suas vidas. A ancestralidade e o futurismo de uma história de mulheres. Quatro personagens que ora se mesclam, concordam; ora dissonam, transbordam. Idiomas indizíveis. Quatro momentos de vida, um encontro. \todas/ é um espetáculo que tem como estopim a obra da autora curitibana Luci Collin. As presenças das atrizes, bem como da autora e da diretora celebram àquelas \todas/ que por esses palcos da vida já passaram. Espetáculo sinalizado em libras e falado em português.

Tempo: 50 minutos
Gênero: Drama
Classificação: 12 anos

21h – Teatro Guairinha

A MALDITA RAÇA HUMANA – Teatro de Breque.

Sinopse
A Maldita Raça Humana é uma peça livremente inspirada no livro Dicas Úteis para uma Vida Fútil, de Mark Twain e conta a história de uma macaca que vive confinada em um espaço que lembra uma cozinha.  Seu cotidiano é frequentemente alterado pela chegada de encomendas embaladas em caixas de papelão. A relação com cada um desses objetos recebidos revela um olhar analítico sobre a humanidade tecendo singelamente a trajetória da personagem. Quem envia as encomendas que chegam constantemente? Que espaços se abrem para que estes objetos ocupem lugar? Quem são os seres que a observam através do buraco na parede? O espetáculo propõe uma reflexão sobre o homem e o nosso tempo a partir da obra literária de Mark Twain – uma figura singular que atravessou gerações e cujo discurso é extremamente atual. O inconformismo, o senso crítico e a radicalidade formal de Mark Twain foram fontes de inspiração na construção da dramaturgia. Nesse sentido, a peça desloca o olhar da plateia ao abrir mão da linguagem falada e investir na dramaturgia do gesto para potencializar os sentidos e contar uma história que pode ser lida de maneiras distintas.

Tempo: 65 minutos
Gênero: Comédia Dramática
Classificação: Livre

Dia 29/07 (sábado)

12h – Casa do Damaceno

Damaceno recebe as visitas para um churrasco com leitura (dramática, claro).
Mais informações serão publicadas em breve.


17h e 21h – Teatro Guairinha

MACUMBA – Companhia Transitória.

Sinopse
MACUMBA – UMA GIRA SOBRE PODER é um espetáculo cênico sobre o empoderamento da mulher e do homem negro. Empoderar-se significa conhecer a sua história, ter consciência da sua cultura e identidade. O negro tem poder? Onde o negro tem poder? A Companhia Transitória convida a todas e todos para uma reflexão, para uma provocação. O que é poder? Como se tem poder? Trata-se de um espetáculo provocativo, celebrativo e revelador. Nossas peles escuramente acesas e nossas memórias negras precisam se ver e serem vistas na cena e fora dela. Compreender como e onde nos empoderamos com identidade nos fez criar esta gira, e convidar o espectador a entrar neste siré.

Tempo: 70 minutos
Gênero: Musical
Classificação: 12 anos

19h – Miniauditório

TERRÍVEL INCRIVEL AVENTURA – Companhia do Bife Seco

Sinopse
O musical conta a história de Capitão Sham, um velho cozinheiro de navio que teve a mão direita engolida por um crocodilo, e sua disputa contra Anton, o estrangeiro vanguardista, pela gorda e libidinosa Crimeia. Induzido por Mefisto, Sham sai numa perigosa viagem marítima em busca de um raro polvo azul com o qual cozinhará o mais perfeito e delicioso prato para, dessa forma, reconquistar o amor e o estômago de sua amada.

Tempo: 90 minutos (com intervalo de 10 minutos)
Gênero: Teatro Musical
Classificação: 12 anos

Dia 30/07 (domingo)

12h – Casa Selvática

As vedetes selvagens da contracultura curitibana abrem as jaulas dentro da programação do Mi Casa Su Casa. Revoada de espécies exóticas em um dia comboteco, casa e obras abertas.

Shows, performances, burlas, charlatanismos, jogatinas, bingo, jam sessions, Feira da Ladra, microfone livre, drinks e uma deliciosa feijoada preparada por mãos hábeis e peroladas!

*Feijoada completa (arroz, farofa e laranja) – 20 golpinhos
(Feijoada vegetariana de especiarias de Mamá Polentera
Feijoada caseira, baiana, nordestina, gorda e enfeitiçada por Stéfano Belo)

 

19h – Miniauditório

TERRÍVEL INCRIVEL AVENTURA – Companhia do Bife Seco

Sinopse
O musical conta a história de Capitão Sham, um velho cozinheiro de navio que teve a mão direita engolida por um crocodilo, e sua disputa contra Anton, o estrangeiro vanguardista, pela gorda e libidinosa Crimeia. Induzido por Mefisto, Sham sai numa perigosa viagem marítima em busca de um raro polvo azul com o qual cozinhará o mais perfeito e delicioso prato para, dessa forma, reconquistar o amor e o estômago de sua amada.

Tempo: 90 minutos (com intervalo de 10 minutos)
Gênero: Teatro Musical
Classificação: 12 anos

21h – Teatro Guairinha

T3 – Súbita Companhia de Teatro

Sinopse
Ele me disse: bem vindo ao meu habitat! T³ é um convite para entrar no corpo/casa de alguém muito inquieto que deseja profundamente expandir-se no tempo-espaço, ir além dos limites do corpo, transfigurar a matéria, gargalhar da rigidez do pensamento newtoniano, dançar nu sem paredes, dar vazão para outra consciência humana, profetizar o quântico, observar a imensidão, ser o infinito. Ele se multiplica no espaço-tempo, joga com o universo apertando um interruptor irônico, insiste em ser tele transportado mesmo que isso lhe custe a desfragmentação, ri e se espanta com o caos. Lógicas de organização, neuroses sobre-humanas, gifs, memórias animadas, música pop, objetos perdidos, 168 lados, a insana trajetória da humanidade e o impulso de por paredes abaixo.

Tempo: 60 minutos
Gênero: Tragicomédia
Classificação: 16 anos

Dia 31/07 (segunda-feira)

19h – Miniauditório

PRINCESA – JUSTO A MIM ME COUBE A EXPLOSIVA TAREFA DE SER EU – Princesa Ricardo Marinelli

Sinopse
Princesa é homem. É mulher. Não é nem homem nem mulher. É realeza. É filha da puta. É arrogante. É generoso e chorona. É sozinho. É explosiva. É um animal perigoso que vive em um país (diríamos que em um mundo) que não está interessado nele, pois nos encontramos em um contexto político-social cruel e quase novelístico que nos exige cada vez mais a capacidade de sermos resilientes. Princesa se usa como assunto para discutir assuntos que não são exclusivos dela, são assuntos de todos. Justo a mim me coube a explosiva tarefa de ser eu. E a você, coube o quê?

Tempo: 45 minutos
Gênero: Performance
Classificação: 18 anos

21h – Teatro Guairinha

T3 – Súbita Companhia de Teatro

Sinopse
Ele me disse: bem vindo ao meu habitat! T³ é um convite para entrar no corpo/casa de alguém muito inquieto que deseja profundamente expandir-se no tempo-espaço, ir além dos limites do corpo, transfigurar a matéria, gargalhar da rigidez do pensamento newtoniano, dançar nu sem paredes, dar vazão para outra consciência humana, profetizar o quântico, observar a imensidão, ser o infinito. Ele se multiplica no espaço-tempo, joga com o universo apertando um interruptor irônico, insiste em ser tele transportado mesmo que isso lhe custe a desfragmentação, ri e se espanta com o caos. Lógicas de organização, neuroses sobre-humanas, gifs, memórias animadas, música pop, objetos perdidos, 168 lados, a insana trajetória da humanidade e o impulso de por paredes abaixo.

Tempo: 60 minutos
Gênero: Tragicomédia
Classificação: 16 anos

Dia 01/08 (terça-feira)

19h – Miniauditório

PRINCESA – JUSTO A MIM ME COUBE A EXPLOSIVA TAREFA DE SER EU – Princesa Ricardo Marinelli

Sinopse
Princesa é homem. É mulher. Não é nem homem nem mulher. É realeza. É filha da puta. É arrogante. É generoso e chorona. É sozinho. É explosiva. É um animal perigoso que vive em um país (diríamos que em um mundo) que não está interessado nele, pois nos encontramos em um contexto político-social cruel e quase novelístico que nos exige cada vez mais a capacidade de sermos resilientes. Princesa se usa como assunto para discutir assuntos que não são exclusivos dela, são assuntos de todos. Justo a mim me coube a explosiva tarefa de ser eu. E a você, coube o quê?

Tempo: 45 minutos
Gênero: Performance
Classificação: 18 anos

21h – Teatro Guairinha

CLOUDS – Carmen Jorge (Dança)

Sinopse
É um espetáculo solo de dança contemporânea que apresenta uma ideia de corporalidade colapsada pelos desajustes do homem e seu comportamento. O corpo que dança ininterruptamente durante 35 minutos, também fala ininterruptamente e aplica 3 velocidades de movimentos inspirados na técnica do Popping (vertente do Hip Hop) realizando uma coreografia contínua. 45 inserções de letras de músicas são incorporadas num único texto de Luiz Felipe Leprevost, buscando uma resposta para a situação de dançar músicas com letras de outra forma e requisitando da memória do espectador suas relações com melodias, ruídos e sons. Clouds é uma nuvem de chumbo.

Tempo: 40 minutos
Gênero: Dança Contemporânea
Classificação: 14 anos

Dia 02/08 (quarta-feira)

19h – Teatro Guairinha

MOMO: PARA GILDA COM ARDOR – Selvática Ações Artísticas

Sinopse
Em seu primeiro trabalho solo, Ricardo Nolasco se apresenta como o artista híbrido que é: da performance, situacionista, poeta, artista de cabaré e do teatro experimental. Através do estudo da obra de Alejandro Jodorowsky, o processo remapeia a cidade de Curitiba na busca por Gilda (travesti mendiga, famosa nas ruas do centro de Curitiba nos anos 70, morta em 1983) através da biografia do artista.

Pés marcados no cimento quase duro de uma política de revitalização. No corpo do performer entrelaçam-se mitologias, memórias, percursos, vidas, acontecimentos. É um recipiente alquímico – encruzilhada – lápide sacrificial. Carta manifesto, psicomagia, rito jocoso carregada de sarcasmo e ironia. Um espetáculo bufo. Uma tragédia pós e pré-dramática. Uma opereta work in progress xamã. Ditirambo. Peça a fantasia. Vida vagabunda, destino vadio, carne de carnaval. Gilda é puro jazz!

Tempo: 100 minutos
Gênero: Transgênero
Classificação: 18 anos